Patrícia Pugas, do Magazine Luiza, fala sobre atração de talentos tech

Conheça como a Magazine Luiza trabalha a atração de talentos tech. Patrícia Pugas diretora de RH, explica como a empresa se destaca.

Flash

De acordo com um estudo da consultoria McKinsey, o déficit previsto de profissionais qualificados no mercado de tecnologia até 2030 deve chegar a um milhão. O estudo foi realizado antes da pandemia — o que significa que esse gap pode ser ainda maior.

No sexto episódio do Flash Talks, programa de entrevistas da Flash, nossa diretora de pessoas e cultura, Alana Azevedo, conversa com Patrícia Pugas, a diretora executiva de gestão de pessoas do Magazine Luiza.

Com um currículo que acumula passagens por grandes empresas e mais de 20 anos de experiência na área de gestão de pessoas, Patrícia compartilha nesta entrevista suas dicas para driblar a escassez de profissionais da tecnologia.

Assista ao teaser:

Tendências de recrutamento em tecnologia: como atrair os disputados talentos tech

Hoje, existem diversas ferramentas de recrutamento e metodologias de avaliação, mas quais são realmente efetivas na hora de escolher candidatos tão especializados?

“Eu costumo dizer que recrutar é uma das tarefas mais difíceis para os profissionais de gestão de pessoas, porque não existe profissional bom e ruim, existem profissionais certos e errados. O grande desafio é achar o profissional certo para a organização e a posição”, ressalta Patrícia Pugas. Para ela, é preciso observar alguns pontos nesse processo:

Fit cultural:

Basicamente a identificação e o alinhamento que um profissional tem com os valores e a cultura da organização, para além das suas competências.

Faculdade não é primordial:

Muito além da formação, as empresas avaliam o conhecimento do profissional. “Muitas vezes as vagas de tecnologia não exigem uma formação, mas pedem que o candidato tenha um conhecimento específico. Esse público tech tem muitos profissionais autodidatas”, explica Patrícia.

Flexibilidade:

Hoje, para atrair talentos de tecnologia, a companhia precisa oferecer alguns diferenciais. Flexibilidade de horários e autonomia são grandes atrativos para esse público. Dada a natureza do trabalho, as empresas que buscam profissionais que atuam com desenvolvimento de códigos precisam dar a eles a opção de atuar de casa — o que, em um cenário de escassez, abre possibilidade para recrutar pessoas de qualquer lugar do mundo.

Leia também: Especialista explica o que são 'power skills' — e como desenvolvê-las!

Perdendo devs para empresas estrangeiras: salários mais altos importam?

De acordo com o levantamento da IDC, nos últimos três anos, a busca por trabalhadores de TI teve um aumento de 42% durante e após a quarentena.

Com a globalização e intensificação do trabalho remoto, muitos profissionais têm a possibilidade de TI escolher trabalhar no Brasil ou no exterior e, com isso, podem ganhar em dólar. Questionada por Alana Azevedo sobre o que esses profissionais buscam e por que estamos perdendo tantos talentos para o exterior, a executiva foi taxativa:

“Não devemos falar em salário, mas em remuneração. Precisamos levar em consideração o ‘total compensation’. Além do salário, todo o pacote ofertado deve ser visto: incentivos de curto e longo prazo, benefícios e até mesmo aspectos intangíveis”, alerta.

De acordo com a diretora, diversidade, conexão com o trabalho, clareza de propósito e de que maneira seu trabalho impacta a organização e o mundo são aspectos fundamentais para atrair funcionários de tecnologia.
“Liderança inspiradora, oportunidades de crescimento, aprendizado na carreira, clima organizacional falam até mais alto que um salário maior. Olha quantos benefícios intangíveis podem ser diferenciais competitivos entre as empresas”, provoca.

Baixe o e-book: Veja como elaborar uma filosofia de remuneração eficiente

Como a Magazine Luiza trabalha a retenção de talentos tech

“A primeira etapa da retenção de talentos está na atração. Todo nosso recrutamento é feito com base no comportamento, porque o técnico é fácil de identificar. Nosso recrutamento é feito com base em todos os valores da organização. E, nos processos de entrevista e aproximação, buscamos apresentar aos candidatos quem somos”.

A executiva alerta, que,nos últimos tempos, o recrutamento passou a ser uma via de mão dupla. “Eu quero o candidato e o candidato tem que querer a empresa também”, pontua.

Principais tendências de recrutamento em tech para 2023

Ao final do bate-papo, Alana Azevedo propõe a Patrícia uma rodada especial para identificar as principais tendências que precisam ser observadas no mercado tech. Veja duas apontadas por ela:

  1. Anywhere office: ligado diretamente à flexibilidade, o conceito possibilita o colaborador a trabalhar de qualquer lugar, sem precisar comparecer ao escritório.
  2. Soft skills: conjunto de competências que não têm relação com os conhecimentos técnicos, mas sim com os comportamentos e habilidades subjetivas, como inteligência emocional, criatividade, comunicação, empatia e adaptabilidade.

Para saber mais sobre as principais tendências de recrutamento, assista ao episódio completo do Flash Talks.

Veja também os outros episódios de Flash Talks:

+ Leis trabalhistas: 3 novidades para o RH acompanhar em 2023

+ Flash Talks: "Saúde mental exige revisão completa nas práticas de RH", diz especialista

+ Jessica Sandin, do Nubank: "RH deve estar com o básico impecável antes de inovar"

ENTRE EM CONTATO

Preencha o formulário e venha ser Flash

Agende uma demonstração e conheça o lado rosa da gestão de benefícios, pessoas e despesas.

Business

20 mil

empresas

Smile

1 milhão

usuários

Premium

5 bilhões

transicionados

Centralize sua gestão de benefícios, pessoas e despesas corporativas em um só lugar

Descubra nossas soluções

Não enviaremos Spam ✌️