O que é gestão do conhecimento e como a Nivea transformou isso em vantagem competitiva

Entenda o que é gestão do conhecimento, quais as principais vantagens de aplicar na empresa e como a Nívea revolucionou esse conceito.

Flash

Sem tempo para ler? Clique no play abaixo para ouvir esse conteúdo.

Conhecimento é poder. A frase do filósofo e político inglês Francis Bacon nunca fez tanto sentido no mundo corporativo contemporâneo. Em um cenário no qual as novas tecnologias geram um volume incalculável de informações, empresas que conseguem fazer a gestão do conhecimento para transformá-lo em ativo saem na frente.

Nesta reportagem, explicamos o que é gestão do conhecimento, mostramos como ela funciona, damos dicas de como implementá-la e ainda trazemos um caso super inspirador do Grupo Beiersdorf, holding alemã dona das marcas Nivea e Eucerin.

O que é gestão do conhecimento

A gestão do conhecimento é o processo que identifica, organiza, armazena, recupera e compartilha informações dentro de uma organização, com o objetivo de melhorar a eficiência, a inovação e a competitividade.

Isso inclui desde o mapeamento de conhecimentos e competências críticas para a empresa até a criação de comunidades para pensar soluções de problemas e desenvolver novos produtos ou serviços.

Como fazer a gestão do conhecimento na prática

Para a pesquisadora e economista Lilia Porto, fundadora de O Futuro das Coisas, especializada em e-learning e team building, o primeiro passo para fazer essa gestão é compreender os conhecimentos que os colaboradores já possuem, quais eles precisarão desenvolver e o que já conhecem, mas ainda não utilizam em sua plenitude.

“Depois é identificar a melhor forma de compartilhar e distribuir esse conhecimento, que é coletivo, com mais pessoas na organização, armazenando-o em algum lugar, uma espécie de segundo cérebro, que pode ser uma ferramenta, um aplicativo ou um software.”

Canais e grupos de discussão e ferramentas sociais como Whatsapp também melhoram a comunicação e a troca de informações. “É importante que a transferência de conhecimento seja fácil, simples e segura para os colaboradores, para que não haja acúmulo (knowledge hoarding) ou ocultação (knowledge hiding). E que também seja fácil acessar ou resgatar esse conhecimento”, pontua Lilia.

Cultura de aprendizagem é essencial na gestão do conhecimento

Elissandra Elissandra Hurtado, vice-presidente da SBGC (Sociedade Brasileira de Gestão de Conhecimento), vai além: “A gestão de conhecimento envolve uma mudança cultural que enfatiza a colaboração, o compartilhamento de informações e a aprendizagem contínua. Algumas empresas podem enfrentar desafios na implementação dessa mudança, mas aquelas que conseguem adotar essa nova mentalidade tendem a colher benefícios significativos e a sustentabilidade no mercado.”

Para Camila Pires, fundadora da Rede Índigo, especializada gestão do conhecimento e educação corporativa, independentemente das práticas adotadas, é essencial investir na formação de uma cultura de aprendizagem e, principalmente, conectar as iniciativas à estratégia da empresa.

Mais do que se reinventar e aprender a administrar o conhecimento como um todo, também é preciso aprender a lidar com o capital intelectual, que representa conhecimentos, sabedorias e vivências que cada profissional de uma empresa possui.

“A gestão do capital intelectual cria e promove a cultura de aprendizagem, que leva a empresa a outro patamar de crescimento”, afirma Lilia. “Se o conhecimento está ou deveria estar distribuído por entre a humanidade, a cultura de aprendizagem, desdobrada em aprendizagem contínua (lifelong learning) e ao longo de todas as situações da vida (lifewide learning), contribui para fazer avançar esse conhecimento, nos tornando pessoas mais plurais, diversas, mais preparadas para os desafios e mais evoluídas”.

Principais vantagens da gestão do conhecimento

Presidente da SBGC (Sociedade Brasileira de Gestão de Conhecimento), Fernando Fukunaga diz que a gestão de conhecimento ajuda as empresas a se tornarem mais competitivas e adaptáveis aos novos cenários, melhora a qualidade do trabalho e o desempenho geral de uma organização. “Para ter uma ideia, em uma pesquisa realizada pela Ocean Tomo em 2020, 90% do valor de mercado de uma empresa da Standard & Poor's 500 [índice composto por 500 ativos cotados nas bolsas de Nova York ou NASDAQ] refere-se aos ativos intangíveis [como o conhecimento]. Logo, só 10% são ativos tangíveis”.

Confira, a seguir, os principais resultados de uma gestão do conhecimento bem feita:

  1. Melhoria na tomada de decisão: ao acessar informações precisas e atualizadas, os gestores podem tomar decisões mais informadas e rápidas.
  2. Aumento na eficiência: o compartilhamento de conhecimento ajuda a reduzir a duplicação de esforços e a aproveitar as melhores práticas já existentes.
  3. Inovação: a gestão de conhecimento facilita a geração de novas ideias e soluções, já que os funcionários têm acesso a uma ampla variedade de informações e experiências compartilhadas.
  4. Desenvolvimento de habilidades e uskilling: o conhecimento compartilhado permite que os funcionários aprendam com os colegas e aprimorem suas habilidades.
  5. Retenção de conhecimento: as empresas podem evitar a perda de conhecimento valioso quando os funcionários saem, garantindo que as informações e habilidades sejam documentadas e compartilhadas.

Leia também: O que é mobile learning e como ele potencializa os processos de aprendizagem

O case de gestão de conhecimento na Nivea

Na Beiersdorf, holding que é dona de marcas como Nivea e Eucerin, a gestão de conhecimento é considerada vantagem competitiva. Tanto que a organização conta com especialistas no time de Gente & Gestão dedicados a identificar as necessidades de conhecimento da companhia, além de planejar e desenvolver programas de treinamento e capacitação.

“Compartilhar conhecimento entre as pessoas colaboradoras e entre as áreas da empresa é uma forma de estimular a inovação, um dos nossos grandes pilares corporativos da atualidade, melhorar a eficiência e promover um ambiente de aprendizado contínuo”, afirma Talita Queiroz, gerente de Gente & Gestão da BDF Nivea.

A companhia alemã faz a gestão de conhecimento por meio de treinamentos customizados para cada colaborador e está sempre atenta às novas skills que precisam ser desenvolvidas. Além disso, a empresa promove capacitações, mentorias, programas de inovação, talks, redes de conhecimento e comunidades de prática.

Imagem não encontrada
Talita Queiroz, gerente de Gente & Gestão da BDF Nivea

“Os times são incentivados a compartilhar seus conhecimentos e a aprender com os colegas. Recentemente, promovemos um talk com a apresentadora Mari Palma e convidamos nossos influenciadores internos para conduzir um bate-papo sobre aprendizado e carreira. O processo de gestão de conhecimento é contínuo e evolui a cada dia, sempre com o objetivo de aprimorar a efetividade do compartilhamento de informações e melhores práticas”, detalha a executiva.

Para evitar a perda de conhecimento com a saída de profissionais da casa, a Nivea prioriza a documentação de processos e procedimentos. Além disso, o compartilhamento de conhecimento entre as pessoas colaboradoras e a criação de redes de conhecimento é estimulado para que nada fique restrito a apenas uma pessoa ou área da companhia. “Temos o compromisso de manter a Beiersdorf como uma referência em gestão de conhecimento e em promover a inovação e a excelência em tudo o que fazemos”, completa Talita.

Leia também:

+ Saiba como desenvolver a inteligência emocional no trabalho

+ Expert mostra os 5 passos essenciais da gestão da mudança

+ Treinamento e desenvolvimento de pessoas: o que é, indicadores e como implementar

ENTRE EM CONTATO

Preencha o formulário e venha ser Flash

Agende uma demonstração e conheça o lado rosa da gestão de benefícios, pessoas e despesas.

Business

20 mil

empresas

Smile

1 milhão

usuários

Premium

5 bilhões

transicionados

Centralize sua gestão de benefícios, pessoas e despesas corporativas em um só lugar

Descubra nossas soluções

Não enviaremos Spam ✌️