Perdi o voo, o que fazer? Confira 5 dicas do que fazer e como evitar a situação

O que fazer após perder o voo nem sempre é tão claro. Confira 5 dicas do que fazer e como evitar para não ser surpreendido.

Flash

Colaboradores constantemente em viagens corporativas sabem da importância de prestar atenção aos detalhes. No entanto, alguns imprevistos podem ocorrer, levando muitos deles a ficarem preocupados, a preocupação mais comum talvez seja: ‘perdi o voo, o que fazer agora?’.

Apesar da situação parecer desesperadora, ela não precisa ser assim. As passagens aéreas, apesar de terem validade, são de um ano geralmente. Dessa forma, caso não consiga embarcar, o colaborador tem a opção de pagar uma taxa, assim ele pode remarcar ou cancelar.

Caso deseje, também é possível ligar com antecedência para a companhia aérea e cancelar a passagem, pedindo reembolso. Esta última é especialmente válida para os momentos em que a perda do voo é iminente.

Mesmo assim, nem sempre a situação é tão simples. Pensando nisso, separamos algumas informações importantes para este momento desagradável. Confira!

O que eu devo fazer depois que perdi meu voo?

Aquilo que deve ser feito ao perceber um atraso não é difícil, mas exige atenção. Existem diversos motivos e tipos de reembolso para diferentes situações, por exemplo. Pensando nisso, separamos 5 dicas para seguir após perder um voo:

  1. entre em contato com a companhia aérea;
  2. converse com os responsáveis no local;
  3. confira a possibilidade de reembolso;
  4. veja a validade da sua passagem;
  5. solicite seu reembolso;

1 Entre em contato com a companhia aérea

A primeira atitude a ser tomada deve ser entrar em contato com a empresa aérea. Assim, os viajantes conseguem contornar a situação da melhor forma possível. Caso o colaborador saiba de antemão que não conseguirá embarcar, pedir o cancelamento é uma opção viável.

Para isso, uma ligação resolve a situação. Trata-se de uma atitude importante, pois caso não seja feito, o viajante entra na lista de não comparecimento. Com isso, toda a viagem é cancelada.

Dessa forma, mesmo que perca a viagem de ida, ao contatar a empresa, a viagem de volta é salva. Mesmo assim, nem sempre é possível conversar com antecedência. Logo, entrar em contato com a companhia no balcão também é uma alternativa.

2. Converse com os responsáveis no local

Ao chegar no balcão da empresa, veja se é possível embarcar no próximo voo. Geralmente, é preciso pagar uma taxa de remarcação. Algumas tarifas, geralmente as mais caras, permitem que seja pago somente a diferença das passagens, não cobrando taxas adicionais de não comparecimento.

No entanto, as tarifas promocionais dificilmente dão direito à remarcação, sendo necessário comprar uma nova passagem. Nessa situação, é importante conversar com o gestor financeiro e explicar a situação.

Por outro lado, o responsável financeiro precisa ser compreensivo, já que imprevistos acontecem e uma reserva de emergência é sempre necessária, sendo parte importante do Duty of Care.

Imagem não encontrada

3. Confira a possibilidade de reembolso

A possibilidade de reembolso depende da passagem adquirida. Geralmente, as mais baratas não dão direito à restituição, sendo possível conseguir o ressarcimento das mais caras. Além disso, as restituições variam em porcentagem, podendo ir de 40% a 100% do valor pago.

4. Veja a validade da sua passagem aérea

Após verificar com a companhia o que pode ser feito, tentar o reembolso e conversar com os responsáveis, é preciso checar a validade da passagem. Por lei, conforme a Resolução Nº400 da ANAC , as empresas têm a obrigação de informar o prazo de validade das passagens.

Além disso, é importante saber que, quando não há uma data estabelecida, a validade é de 1 ano. Dessa forma, ao pagar as taxas cabíveis e correr com os devidos processos, é possível utilizar esta passagem.

5. Peça o reembolso

Aqui, trata-se do reembolso da taxa de embarque e não da passagem em si. Caso o ressarcimento do bilhete não seja possível, a restituição da taxa é possível. No entanto, ela não é automática.

É preciso entrar em contato com a companhia para fazer a solicitação e o passageiro tem o período de 12 meses para fazer isso.

6 dicas para evitar outros atrasos no aeroporto

Alguns atrasos ou cancelamentos são difíceis de serem evitados, muitas vezes voos atrasam por culpa das próprias empresas. Entretanto, quando não é esse o caso, o colaborador precisa tomar cuidado para evitar a situação.

Dessa forma, é válido também que os gestores disponibilizem um manual de viagens corporativas para os funcionários. Com isso, os responsáveis promovem maior cumprimento dos prazos e reduzem custos advindos destes acasos.

Confira 6 dicas para evitar atrasos em aeroportos são:

  1. sair com antecedência;
  2. separar os documentos necessários;
  3. fazer o check-in antecipadamente;
  4. verificar o trajeto com antecedência;
  5. evitar conexões muito curtas;
  6. checar os portões de embarque.

O uso de políticas de viagens corporativas também é uma forma de evitar atrasos no aeroporto. Ao definir que os colaboradores devem chegar 1 hora antes do embarque, por exemplo, evita-se que eles percam voos.

No entanto, definir essas diretrizes não é fácil. Definir o que é ou não é reembolsável, colocar limites de gastos por categoria e prazos para prestação de contas exige cuidado.

Fazer um documento como esse pode demorar algumas semanas, o que pode significar trabalhar horas a mais ou mesmo nos finais de semana.

Para evitar isso, baixe nosso modelo de política de viagens corporativas, economize tempo e facilite a construção de outros documentos.

1. Sair com antecedência

Trata-se de uma boa prática e é válido dar esta instrução aos colaboradores. As próprias empresas aéreas dizem para os passageiros chegarem 1 hora antes do embarque. Assim, além de chegar uma hora antes, também é preciso sair com antecedência.

Dessa forma, é válido sugerir aos colaboradores que saiam 2 horas antes do horário de seu voo. Ao fazer isso, os passageiros evitam os imprevistos de trânsito, por exemplo. Além disso, trata-se de uma margem de segurança se o aeroporto se encontra longe dos centros.

2. Separar os documentos necessários

Esquecer de algo importante ao sair com pressa de algum lugar é algo bastante comum, mas deve ser evitado ao máximo. Então, o ideal é que os viajantes separem os documentos pertinentes e os deixem em um lugar visível e seguro.

Dessa forma, o passaporte, documento de identificação com foto, passaporte de vacina, entre outros, não são esquecidos. Para isso, é válido instruir que eles sejam deixados já em uma mochila no dia anterior, garantindo fácil acesso e praticidade quando for pedido.

3. Fazer o check-in antecipadamente

Uma facilidade que a tecnologia promove é o check-in antecipado. A maioria das empresas aéreas disponibilizam aplicativos que facilitam este processo. Através destes apps, os viajantes conseguem emitir o cartão de embarque sem precisar ir ao balcão.

4. Verificar o trajeto com antecedência

Talvez pareça redundante, mas checar o trajeto até o aeroporto com antecedência é essencial. Além de sair e chegar antes do horário de embarque, é preciso verificar o trajeto que será feito.

Ao entender o tempo necessário para o deslocamento, o colaborador consegue entender a melhor forma de fazê-lo. Seja de táxi, aplicativo ou carro alugado, entender o trajeto garante maior planejamento e otimização dos gastos, bem como possíveis reduções de custos.

5. Evitar conexões muito curtas

Quando é necessário desembarcar da aeronave e embarcar em outra para continuar a viagem, o colaborador precisa tomar muito cuidado. Apesar do valor da passagem com conexões ser, geralmente, mais barato, essas conexões oferecem riscos.

Se o tempo entre o desembarque e o novo embarque for muito curto, o colaborador pode ter dificuldades para chegar a tempo. Se os portões forem distantes, a situação é ainda pior. Além disso, o extravio de bagagem é um problema comum nestas situações.

Então, é importante ressaltar que reduzir custos em viagens corporativas é necessário, mas, às vezes, a economia é mais custosa que vantajosa.

6. Checar os portões de embarque

É fundamental checar os portões tanto no aplicativo e cartão de embarque quanto nos painéis. Em alguns casos, imprevistos podem ocorrer no aeroporto, fazendo com que o portão mude. Logo, se essa informação não for acompanhada, o voo pode ser perdido.

Como a Flash Expense ajuda os colaboradores em voos perdidos?

Ao falar em voos perdidos e imprevistos, um bom planejamento é extremamente importante. O pagamento das taxas e compra de novas passagens exigem controle dos gastos, caso contrário podem prejudicar os cofres.

Além disso, a reserva das melhores passagens, seja evitando conexões ou não, pode tomar tempo quando é preciso verificar inúmeras plataformas. Muitas vezes, ocorre oscilação de preços somente no tempo de verificar diferentes sites.

Com isso, a melhoria dos processos, a redução de custos e maior controle são dificultadas. Porém, ao contar com a tecnologia, o processo é facilitado. A Flash Expense oferece uma plataforma completa de gestão de viagens corporativas, conferindo personalização em 2 dos 3 planos disponíveis.

Com isso, as empresas têm uma ferramenta completa, da reserva de hotéis e compra de passagens até o reembolso de despesas. Aqui, você reúne todas as informações pertinentes em uma única plataforma, garantindo total visibilidade e controle dos gastos.

Se não fosse suficiente, a Flash Expense oferece relatórios automatizados, economizando tempo e fornecendo um histórico para comparações posteriores.

Entre em contato conosco e solicite uma demonstração.

ENTRE EM CONTATO

Preencha o formulário e venha ser Flash

Agende uma demonstração e conheça o lado rosa da gestão de benefícios, pessoas e despesas.

Business

20 mil

empresas

Smile

1 milhão

usuários

Premium

5 bilhões

transicionados

Centralize sua gestão de benefícios, pessoas e despesas corporativas em um só lugar

Descubra nossas soluções

Não enviaremos Spam ✌️