Case: Itaú aposta em diversidade e inclusão para fortalecer cultura organizacional

Conheça o case de Itaú Unibanco, que aposta em diversidade e inclusão para fortalecer a representatividade e presença de mulheres na liderança até 2025.

Flash

No ano passado, o Itaú Unibanco anunciou a conclusão de uma grande transformação na sua cultura organizacional, que definiu novos rumos para negócios, parcerias e iniciativas do maior banco da América Latina para os próximos anos: a cultura itubers, que aposta na diversidade e na inclusão para inovar e melhorar serviços e produtos.

“Nossos objetivos de diversidade e inclusão são focados nos pilares de gênero e raça, onde temos o compromisso de aumentar nos próximos anos a presença de mulheres na liderança e a representatividade de pessoas negras em todos os níveis da organização”, diz Camila Udihara, superintendente de Cultura Corporativa, Analytics e Aprendizado Contínuo do Itaú Unibanco.

As metas estão na mesa. Até 2025, o banco espera ter entre 35% e 40% de mulheres na liderança, com cerca de 1.300 mulheres em cargos de gerência, superintendência e diretoria. No que diz respeito à etnia, o foco é ampliar a representatividade negra em 30%, com a contratação de mais de 4.000 colaboradores negros nos próximos 4 anos.

Para isso, muito além de firmar um compromisso público, o banco criou projetos como o + Mulheres + Liderança, para incentivar o encarreiramento feminino, e o + black + oportunidades, que busca acelerar a contratação de pessoas pretas e pardas através de oportunidades direcionadas. Neste bate-papo exclusivo com o blog da Flash, Camila fala sobre o DNA da cultura itubers e os desafios da fase de consolidação. Confira:

Como o Itaú desenvolve a cultura organizacional no dia a dia? O que mudou desde a transformação anunciada em 2022?

Hoje a estratégia é de reforço em todos os símbolos, ritos e ações da organização e muito foco na prática, nas atitudes e nos comportamentos do dia a dia. Todo ituber é um guardião da cultura. Mas revisitando o que fizemos até chegar aqui, o primeiro passo foi investir em uma construção conjunta. A cultura itubers foi desenhada ouvindo colaboradores de todos os níveis hierárquicos, idade, tempo de casa e regiões, além de clientes de todos os segmentos.

Parte do que compõe a nossa cultura já fazia parte do dia a dia, mas o lançamento global foi um marco para declarar que aquilo passava a ser de fato um norte estratégico e comportamental para a organização. Outro passo e marco importante dessa transformação foi o investimento que fizemos na jornada de desenvolvimento para toda a alta liderança, incluindo nosso CEO, pois entendemos que estes executivos são grandes embaixadores da cultura e têm a função de disseminar e incentivar sua prática em todas as áreas do banco.

Como é o processo de divulgar esta agenda?

Capacitamos toda a área de business partners, para que pudessem agir como agentes de transformação na organização. Realizamos atualização em processos, artefatos e sistemas com base nos novos valores, como, por exemplo: a avaliação de comportamentos, o código de ética e a jornada de onboarding, além de investir fortemente em comunicação para toda a organização, com foco na conscientização sobre a cultura, seus valores e direcionadores.

Para 2023, estamos prevendo mais ações de ajustes de processos, sistemas e símbolos, capacitações e comunicação constante visando aprofundar em elementos da cultura na prática. Vale destacar o quão desafiador é transformar uma cultura de uma empresa líder de mercado, com quase 100 anos, e que é resultado de tantas fusões e aquisições. Mas é exatamente essa capacidade de transformação e de adaptação aos diversos contextos ao longo de um século, com a agilidade necessária e sempre extraindo o melhor das mudanças, que fez com o que o Itaú chegasse até aqui e também é o que diferencia sua cultura.

Como definiria o tipo da cultura organizacional do Itaú?

É uma cultura baseada no walk the talk (ou praticar o que se diz), onde estimulamos que as pessoas pratiquem aquilo que declaramos em nossos valores através de atitudes e comportamentos diários, começando pela liderança, que serve de exemplo para toda a organização.

O foco da cultura itubers está no cliente e em resultados, através do trabalho em equipe, sempre buscando a diversidade e a inclusão, com aprendizado contínuo e conjunto, tudo isso pautado pela ética inegociável, que é nosso valor essencial.

Quais são os principais diferenciais da cultura itubers?

Nossa cultura é baseada em um ambiente seguro e de abertura, na valorização das nossas pessoas e no orgulho de pertencer. Para nós, ter funcionários motivados e engajados com o trabalho no dia a dia e, com o propósito do Itaú, é a única forma de continuarmos crescendo e entregando as melhores soluções para os nossos clientes e para a sociedade.

Acreditamos na força da diversidade para inovar e melhorar a qualidade dos nossos serviços e produtos para nossos clientes, por isso anunciamos nossos objetivos de Diversidade e Inclusão focados nos pilares de gênero e raça, onde temos o compromisso de aumentar nos próximos anos a presença de mulheres na liderança e a representatividade de pessoas negras em todos os níveis da organização, levando em consideração a interseccionalidade desses dois públicos.

Como são as oportunidades de desenvolvimento do Itaú?

Também focamos em uma estratégia de aprendizagem e autodesenvolvimento. Temos um ecossistema de desenvolvimento contínuo superimportante para os nossos colaboradores, chamado iOX. Isso contempla uma plataforma onde o colaborador tem acesso a trilhas de autodesenvolvimento, em que pode, a partir das suas necessidades, trilhar o caminho que achar mais importante para seu desenvolvimento.

Para os líderes, temos feito discussões, treinamentos e workshops muito profundos a partir de um modelo de gestão mais humano e alinhado a práticas ágeis. Além disso, reforçamos a construção de relações de confiança, com incentivo à autonomia e empoderamento dos times.

É possível dizer que a cultura influencia na retenção e atração de talentos?

A cultura itubers deixa evidente quais são os direcionadores que nos ajudam a viver os valores na prática e reflete toda a transformação que entendemos que precisamos fazer como organização. Buscar talentos que se reconheçam nesses valores e que estejam dispostos a viver essa transformação conosco acelera a velocidade com que conseguimos fazer as mudanças.

Estamos construindo relações transparentes, onde as pessoas podem ser quem são, onde queremos potencializar o que elas têm de melhor, porém sempre guiados por valores dos quais não abrimos mão. E a retenção vai na mesma linha. Para os itubers, ver os valores sendo praticados fortalece o orgulho de pertencer. Isso nos ajuda a ser cada vez mais uma empresa com uma cultura forte, mas sem perder de vista a capacidade de se transformar de acordo com a velocidade das mudanças e das necessidades dos nossos clientes.

Leia também:

+ Cultura Organizacional: os principais tipos e exemplos das empresas Nestlé, Beep e Ourofino

+ Case Mondelez: Diversidade e Inclusão como uma pauta estratégica e não uma tendência de RH

+ 12 especialistas em diversidade e inclusão para seguir no LinkedIn

ENTRE EM CONTATO

Preencha o formulário e venha ser Flash

Agende uma demonstração e conheça o lado rosa da gestão de benefícios, pessoas e despesas.

Business

20 mil

empresas

Smile

1 milhão

usuários

Premium

5 bilhões

transicionados

Centralize sua gestão de benefícios, pessoas e despesas corporativas em um só lugar

Descubra nossas soluções

Não enviaremos Spam ✌️