O que é downsizing e 10 dicas para fortalecer a cultura organizacional

Descubra o que é e como aplicar downsizing de forma positiva na sua empresa. Confira 10 dicas para enfrentar esse momento.

Flash

No universo empresarial, a busca por eficiência e sustentabilidade financeira muitas vezes leva as organizações a considerarem práticas como o downsizing. Para evitar demissões em massa, é preciso planejar as estratégias de redução de custos que menos afetem os funcionários e a empresa.

Neste artigo, abordaremos os desafios associados ao rateio de despesas e custos, além da implementação cuidadosa do downsizing. Entenda também como otimizar a estrutura organizacional pode gerar resultados significativos.

Descubra como implementar o downsizing com foco nas necessidades que a empresa pode apresentar. Acompanhe a leitura e aprenda o que é o processo de downsizing e como reduzir os custos em sua empresa.

O que é downsizing?

O downsizing é uma estratégia empresarial que visa a reestruturação organizacional. Geralmente envolve a redução do número de funcionários e a otimização de processos para atingir maior eficiência e sustentabilidade financeira.

Alguns exemplos de downsizing podem ser a eliminação de departamentos redundantes ou a junção de equipes (também nomeado de outsourcing ou terceirização). Essa prática é frequentemente adotada em resposta a desafios econômicos ou revisão estratégica.

As principais características do downsizing são:

  • concentrar recursos nas áreas mais produtivas da empresa; e
  • causar efeitos não apenas a curto prazo, mas também impactar a gestão de custos da empresa a longo prazo.

Vale destacar que o objetivo do downsizing é reduzir custos, algumas vezes isso inclui a redução de pessoal. Além da demissão em massa, pode ocorrer aposentadoria incentivada ou programas de demissão voluntária.

As estratégias de downsizing visam também adaptar a empresa às constantes mudanças de mercado. Isso as torna mais ágeis e capazes de responder aos desafios e oportunidades.

Qual a diferença entre downsizing e rightsizing?

O termo rightsizing refere-se ao processo de ajustar a estrutura de uma organização para torná-la mais eficiente e alinhada com seus objetivos. Diferente do downsizing, que foca principalmente no corte de custos, o rightsizing envolve reduzir, expandir ou realocar recursos.

O objetivo é ter a estrutura certa para operar de maneira otimizada, garantindo que a empresa seja proporcionalmente dimensionada para suas necessidades. Sendo assim, é possível melhorar a sua eficiência, produtividade e competitividade no mercado.

Tipos de downsizing

Existem diversos tipos de downsizing além da redução de operações e pessoal comentada anteriormente. Veja outras 5 opções que uma empresa pode adotar para sanar as suas estratégias e objetivos a seguir.

  1. Redução de despesas não-pessoais: inclui cortes em orçamentos, como marketing, viagens corporativas, entretenimento, ou outras despesas operacionais.
  2. Redução de salários e benefícios: reduzir salários ou benefícios de diferentes níveis hierárquicos, embora isso possa afetar a moral e a produtividade.
  3. Reengenharia de processos de negócios: revisão e simplificação de processos para melhorar a eficiência e reduzir custos.
  4. Desinvestimento: venda de certos ativos, divisões ou subsidiárias que não são mais estratégicos para a estratégia da empresa.
  5. Automatização: substituição de processos manuais por tecnologias automatizadas para melhorar a eficiência e reduzir a dependência de mão de obra.

A principal vantagem do downsizing é desenvolver produtos ou serviços de qualidade com uma estrutura enxuta. Isso se aplica a empresas de todos os portes, garantindo que a redução de custos e despesas não afete as operações. Outras vantagens incluem:

  • comunicação interna rápida e transparente;
  • redução de rotinas burocráticas;
  • eliminação de cargos desnecessários;
  • agilidade na tomada de decisão estratégica;
  • aumento da colaboração entre equipes;
  • agilidade na tomada de decisão estratégica; e
  • foco nas necessidades dos clientes e de mercado.

Por outro lado, esse tipo de ação também pode resultar em impactos negativos. A perda de talentos é o principal deles, assim como a interrupção de processos, custos com rescisões e o declínio da cultura organizacional. Nesse cenário, o papel do financeiro no downsizing é fundamental, pois ele é o responsável por:

  • analisar a viabilidade dos custos, benefícios e riscos associados ao downsizing;
  • identificar onde e como cortar custos sem comprometer as operações essenciais;
  • prever os impactos financeiros e ajustar as estratégias; e
  • acompanhar o desempenho financeiro após a implementação do downsizing.

Como aplicar o downsizing?

Para implementar o downsizing de maneira eficaz e responsável, deve-se seguir uma série de etapas. Algumas delas podem mudar de acordo com as necessidades da sua empresa. Em geral, é possível realizar esse processo em 7 passos.

  1. Planejamento estratégico: identifique as áreas que necessitam de redução e os objetivos de longo prazo da empresa.
  2. Análise financeira e operacional: avalie o impacto financeiro e operacional.
  3. Consultoria jurídica: garanta a conformidade com as leis trabalhistas locais e nacionais.
  4. Comunicação: informe os funcionários sobre o processo e as razões do downsizing.
  5. Apoio aos funcionários: ofereça suporte, como aconselhamento de carreira e serviços de recolocação.
  6. Implementação cuidadosa: conduza o processo de maneira ética e respeitosa, evitando impactos negativos desnecessários na moral e na produtividade.
  7. Avaliação e ajustes: monitore os efeitos do downsizing e faça ajustes conforme necessário.

Essas etapas ajudam a minimizar o impacto do downsizing tanto para os colaboradores quanto para a organização.

O que diz a legislação sobre a redução do quadro de funcionários?

A CLT não especifica regras distintas para demissões em massa em comparação com as individuais. No entanto, de acordo com a jurisprudência e com as práticas legais, as demissões em massa são tratadas com considerações adicionais, como:

  • negociação coletiva: empresas que planejam demissões em massa são obrigadas a negociar com sindicatos ou representantes dos trabalhadores.
  • notificação prévia: embora não seja explicitamente exigida pela CLT, a notificação prévia às autoridades trabalhistas e aos sindicatos é uma prática recomendada.
  • direitos dos trabalhadores: todos os direitos previstos pela CLT, como aviso prévio, FGTS e multa rescisória, devem ser integralmente pagos.

Essas práticas visam proteger os colaboradores e minimizar o impacto das demissões.

Referente a redução salarial, a Medida Provisória n° 1.045 de 2021, renova a aplicação legal sobre a suspensão de salários e cargas horárias. Estabelecida durante a pandemia de COVID-19, tem como objetivo incentivar o layoff ao invés da demissão em massa.

As consequências legais do downsizing podem variar dependendo do contexto e da maneira como é implementado. A empresa deve cumprir todas as obrigações trabalhistas previstas pela CLT e demais regulamentações, caso contrário pode:

  • resultar em ações judiciais por parte dos funcionários, alegando demissão injusta;
  • afetar a reputação da empresa e suas relações com os stakeholders;
  • haver a reintegração de funcionários pela justiça, em casos de violações legais; e
  • chamar a atenção das autoridades, levando a multas por não conformidade;

Além disso, é crucial examinarmos a função do RH na tomada de decisões durante o downsizing. Isso se aplica desde a redução de custos em viagens corporativas até o aumento da produtividade.

Qual o papel do RH no downsizing?

O RH pode otimizar os custos desde o pacote de benefícios oferecidos até demissões estratégicas para não prejudicar a empresa. Nesses casos, a gestão de pessoas pode ser bastante desafiadora, ainda mais considerando as dificuldades de mercado.

Alinhar os critérios de downsizing entre o RH e o financeiro é essencial para a tomada de decisões. Além disso, o RH tem a super função de assegurar que todo o processo esteja em conformidade e seja conduzido de maneira ética. Também é de sua responsabilidade gerenciar a realocação de funcionários, durante ou após o downsizing.

Para comunicar o downsizing aos funcionários, a dica é ser honesto em relação aos motivos que levam a essa decisão. Tenha sensibilidade sobre o impacto emocional do downsizing nos funcionários. E mantenha uma comunicação aberta através de feedbacks para orientar os colaboradores durante o processo.

10 dicas para melhorar a cultura organizacional depois do downsizing

Melhorar a cultura organizacional após um downsizing é crucial para manter um ambiente de trabalho saudável e produtivo. Abaixo, listamos 10 dicas que podem facilitar o processo.

1. Envolvimento dos funcionários

Inclua os funcionários nas decisões e mudanças que afetam o futuro da empresa. Isso pode aumentar o sentimento de pertencimento e comprometimento.

2. Apoio aos funcionários remanescentes

Reconheça que os funcionários remanescentes podem sentir-se inseguros ou sobrecarregados. Ofereça suporte emocional e profissional, como aconselhamento ou oportunidades de desenvolvimento.

3. Reavaliação dos valores e objetivos da empresa

Atualize os valores da empresa para alinhá-los com a nova realidade. Isso é fundamental para assegurar que todos estejam trabalhando em direção aos mesmos objetivos.

4. Promoção do trabalho em equipe e da colaboração

Encoraje a colaboração e o trabalho em equipe para fortalecer os laços entre os funcionários e promover um ambiente de trabalho positivo.

5. Reconhecimento e recompensa

Reconheça e recompense o trabalho duro e as conquistas dos funcionários. Isso pode ajudar a melhorar a moral e a motivação.

Conte com a Flash para oferecer os melhores benefícios flexíveis para os colaboradores. Veja como é fácil personalizar e centralizar os benefícios em um único cartão.


6. Desenvolvimento de líderes

Assegure que os líderes e gestores estejam capacitados para gerir suas equipes, especialmente em períodos de mudança e incerteza.

7. Promover a diversidade e inclusão

Reforce o compromisso com a diversidade e a inclusão, demonstrando que todos os funcionários são valorizados e têm oportunidades iguais.

8. Capacitação e desenvolvimento profissional

Invista em treinamentos e desenvolvimento profissional para ajudar os funcionários a adquirir novas habilidades e se adaptar às mudanças na empresa.

9. Fomentar a inovação e a criatividade

Encoraje os funcionários a apresentar novas ideias e soluções. Isso pode estimular a inovação e ajudar a empresa a se adaptar a novos desafios.

10. Monitoramento do clima organizacional

Realize pesquisas de clima organizacional regularmente para identificar áreas que precisam de melhorias.

Para otimizar a rotina do RH, conte com a Flash. Conheça nosso módulo de gestão de pessoas e automatize desde a admissão até o treinamento e desenvolvimento de colaboradores com o apoio e a facilidade da tecnologia.

ENTRE EM CONTATO

Preencha o formulário e venha ser Flash

Agende uma demonstração e conheça o lado rosa da gestão de benefícios, pessoas e despesas.

Business

20 mil

empresas

Smile

1 milhão

usuários

Premium

5 bilhões

transicionados

Centralize sua gestão de benefícios, pessoas e despesas corporativas em um só lugar

Descubra nossas soluções

Não enviaremos Spam ✌️