Experts ensinam como implementar o lifelong learning nas empresas

Por que o lifelong learning se tornou um conceito importante para empresas que apostam em cultura de aprendizagem.

Flash

Investir em aprendizado contínuo é um pré-requisito essencial para profissionais que desejam se destacar no mercado de trabalho. E é por isso que o conceito de lifelong learning tem ganhado força no mundo corporativo. Cada vez mais, empresas enxergam as vantagens de apostar na cultura de aprendizagem e apoiar colaboradores com educação continuada.

“Uma organização que não contribui para a aprendizagem das pessoas estará fadada à estagnação. E isso, em um mercado dinâmico como o atual, pode ser a morte do negócio. Um profissional que não assume a responsabilidade por seu conhecimento está terceirizando sua carreira, e sua carreira é seu negócio. Imagine o poder da combinação onde organização e profissionais assumem responsabilidades diante da aprendizagem”, provoca Janaina Manfredini, consultora em gestão e estratégia e instrutora de cursos do Linkedin.

Mas qual é o significado de lifelong learning e como aplicá-lo na sua empresa? Confira nossos insights para colocar em prática métodos que vão além da aprendizagem formal.

O que é lifelong learning?

Em uma tradução livre de lifelong learning é o aprendizado ao longo da vida. “A partir dessa lente, o processo de educação de uma pessoa não termina quando ela conclui as etapas de ensino formal. Ele perdura a vida inteira”, explica Alex Bretas, especialista em lifelong learning e aprendizagem autodirigida.

De maneira objetiva, o lifelong learning se baseia em 4 pilares:

1. Aprender a conhecer: transformar a busca pelo conhecimento em um hábito para que essa construção do conhecimento aconteça de forma autônoma.

2. Aprender a fazer: colocar as teorias aprendidas em prática no seu tempo, do seu jeito.

3. Aprender a conviver: a interação com outras pessoas é uma forma rica de aprendizado que possibilita o desenvolvimento de habilidades como gerenciar conflitos.

4. Aprender a ser: ter autonomia para criar sua própria trilha de aprendizado.

Qual é a importância do lifelong learning?

Independentemente da área de atuação, aprender a aprender tem se tornado cada vez mais necessário para os trabalhadores. Ser um lifelong learner representa não só uma chance de crescimento profissional, mas também pessoal, já que o aprendizado contínuo ajuda a encontrar novos significados para a vida e saídas criativas para os nossos dilemas e desafios como um todo.

No caso das organizações, ele impacta na melhora de performance, na produtividade, no clima organizacional, na marca empregadora (employer branding), na satisfação do cliente e, consequentemente, no lucro.

Qual a diferença entre lifelong learning e cultura de aprendizagem?

O termo cultura de aprendizagem pode ser utilizado para se referir ao processo de desenvolvimento do conhecimento em uma organização.

“O lifelong learning está para a cultura de aprendizagem como o CPF está para o CNPJ. Lifelong learning é mais sobre a pessoa física, o indivíduo, enquanto a cultura de aprendizagem promove o mesmo sistemicamente, tornando o que era individualizado em coletivo”, explica Janaína.

Uma cultura de aprendizagem forte pode ser o maior diferencial de uma organização já que os colaboradores se sentem mais motivados e encontram as ferramentas certas para aprender continuamente no trabalho e desenvolver tanto habilidades técnicas (hard skills) quanto competências relacionadas ao comportamento humano (soft skills).

“Em uma cultura de aprendizagem potente, colaboradores se sentem realizados no trabalho, pois o aprendizado é um fator que traz realização. Além disso, sentem orgulho, pois provavelmente estarão usando esses aprendizados para criar coisas que agreguem valor ao negócio e à sociedade”, diz Alex.

Desafios do lifelong learning

Um dos principais desafios da educação continuada é que o desejo de aprender precisa ser intrínseco. É um caminho que não pode ser forçado nem imposto a ninguém.

E convidar os colaboradores a saírem da zona de conforto pode ser um processo complexo, principalmente em ambientes corporativos tradicionais. “Muitas pessoas vivem no automático, sem questionar se existem formas mais eficientes de fazer o que sempre fizeram. O que mais eu ouço no dia a dia é: não tenho tempo. Poucos entendem que tempo é uma das coisas que ganham ao se abrir para o novo”, alerta Janaina.

Palestras e treinamentos ajudam a conscientizar e sensibilizar as equipes, mas elas não fazem milagres sozinhas se a cultura organizacional não priorizar uma cultura de aprendizagem, valorizando inclusive a troca de conhecimento orgânico e informal.

“A mentalidade das lideranças ainda está muito focada em controle e métricas. O investimento deveria ser redirecionado para programas de cultura de aprendizagem sólidos, pois as pessoas precisam de ajuda para virar essa chave”, diz Alex.

Como incentivar o lifelong learning na empresa

Fazer uma mudança considerável nos formatos de ofertas de conhecimento e métodos de aprendizagem é um processo que demanda paciência e estratégia, como tudo que envolve cultura em uma organização.

O RH pode ser o catalisador da mudança de duas maneiras: propondo iniciativas e facilitando o processo para que as pessoas se tornem lifelong learners. Algumas ações e práticas podem contribuir para o incentivo do lifelong learning.

  • Incentive a troca de conhecimento

Criar um ambiente dinâmico, propício para a troca de conhecimentos, é um passo essencial não apenas para favorecer o trabalho em equipe, mas para estimular os lifelong learners. Nesse sentido, vale explorar inclusive o compartilhamento de experiências entre colaboradores de diferentes idades e senioridades.

  • Crie células de aprendizado

Comunidades como clubes de leitura, grupos de práticas de idiomas e experiências de aprendizagem autodirigida funcionam como excelentes ferramentas da filosofia de lifelong learning.

  • Ofereça treinamentos específicos

Cursos que incentivam o aprendizado de uma maneira geral podem ser o ponto de partida para que os colaboradores deem o primeiro passo para sair da zona de conforto e, a partir daí, se sintam estimulados a aprender novas habilidades.

  • Envolva toda a equipe

Uma cultura de aprendizagem que estimula a educação contínua só conseguirá se sustentar de fato se a missão não ficar restrita às lideranças e ao RH. “A aprendizagem ao longo da vida, para não ficar só no discurso, precisa de muitas pessoas envolvidas diretamente em sua materialização”, pontua Alex.

Continue navegando no blog da Flash e venha saber mais sobre o futuro da aprendizagem no universo corporativo.

Se gostou do conteúdo, acesse o site da Flash para saber mais sobre as nossas soluções flexíveis!

ENTRE EM CONTATO

Preencha o formulário e venha ser Flash

Agende uma demonstração e conheça o lado rosa da gestão de benefícios, pessoas e despesas.

Business

20 mil

empresas

Smile

1 milhão

usuários

Premium

5 bilhões

transicionados

Centralize sua gestão de benefícios, pessoas e despesas corporativas em um só lugar

Descubra nossas soluções

Não enviaremos Spam ✌️