Upskilling e Reskilling: O que é, diferenças e como aplicar

Os conceitos upskilling e reskilling são conceitos de desenvolvimento para as organizações. O blog da Flash trouxe mais acerca dessa tendência, confira!

Flash

À medida que novas tecnologias surgem, profissionais e empresas precisam se atualizar para se manter competitivos. E a única forma de garantir novas habilidades é investindo no aprendizado contínuo. É aí que despontam duas grandes tendências de RH para 2023: o upskilling e o reskilling.

Se você tem dúvidas sobre o significado dessas duas palavras, não se preocupe. O Blog da Flash preparou um especial com tudo que você precisa saber.

Para começar, é preciso entender a diferença entre os dois conceitos. Enquanto no upskilling o objetivo é que o funcionário amplie suas habilidades para se manter atualizado, no reskilling o colaborador passa por uma requalificação para desenvolver novas competências para assumir funções emergentes.

Para se ter ideia da importância do tema, um estudo da Mckinsey estima que 375 milhões de profissionais vão precisar mudar de emprego nos próximos anos por causa das mudanças no trabalho em decorrência da tecnologia. Para piorar, 9 em cada 10 executivos e gerentes dizem que suas organizações já enfrentam lacunas de habilidades ou esperam que esse gap cresça nos próximos cinco anos.

Um projeto canadense chamado Skills Next mostra que o gap de habilidades causado pelaautomação já está entre as prioridades de muitos executivos, tanto que existem empresas desenvolvendo estratégias ambiciosas para requalificar funcionários. Uma delas é o Scotiabank, que se comprometeu a investir US$ 250 milhões em 10 anos para criar uma força de trabalho qualificada, enquanto a AT&T investiu US$ 1 bilhão para “retreinar” quase metade de seus colaboradores.

"Desenvolver talentos é um ganho mútuo. Do lado da empresa, é mais interessante ter um profissional ‘formado em casa’ assumindo novas posições do que trazer pessoas de fora, que não conhecem o negócio nem a cultura. Do lado do colaborador, ele se sente motivado a crescer e contribuir para a missão organizacional", afirma Bruno Rizzato, diretor do Trampolim, primeiro app de vagas de emprego colaborativas do Brasil.

Ao longo deste artigo, nós vamos mostrar o que é upskilling e reskilling e trazer dicas de como implementá-los na sua organização.

O que é upskilling?

A definição de upskilling é a capacidade de o funcionário aprimorar suas habilidades com o objetivo de se manter sempre atualizado. Uma iniciativa de qualificação pode ocorrer em uma empresa, indústria ou até mesmo na comunidade onde as pessoas estão inseridas.

Seu poder estratégico é reforçado ainda por envolver a identificação de habilidades que serão mais valiosas no futuro, criando uma cultura de aprendizagem em que os colaboradores passam adquirir conhecimento de forma consistente, e as empresas estejam mais preparadas para mudanças no mercado.

No upskilling, treinamentos e aprendizados são baseados em tecnologia e nas transformações digitais. A recompensa por esse investimento traz, além de engajamento, resultados econômicos, qualidade de vida geral e aumento de oportunidades para os times.

“Tão importante quanto reter talentos é desenvolver talentos. Entender quais habilidades um colaborador ainda não possui e criar oportunidades para que ele aprimore seu conhecimento é também uma ótima forma de reter talentos. As pessoas se sentem vistas e valorizadas pela liderança”, afirma Tábata Silva, gerente da Empregos.com.br, um dos maiores portais de recolocação profissional do país.

O que é reskilling?

Em tradução livre, reskilling significa requalificação. Trata-se de uma série de treinamentos para que os funcionários aprendam novas habilidades: seja para receberem um novo desafio profissional dentro da organização ou para atender a novas demandas da área em que atuam, como a automação de algum processo.

Dessa maneira, ele é implementado quando as tarefas ou responsabilidades anteriores atribuídas aos funcionário não são suficientes, ou quando é necessário fazer ajustes para que ele possa encarar novas demandas.

Muitas empresas apostam no reskilling quando identificam funcionários com capacidade para assumir novas funções, algumas até que não existiam anteriormente. Mas o reskilling também está relacionado ao profissional buscar uma mudança profissional.

Em entrevista exclusiva ao blog da Flash, Sergio Serapião, fundador e CEO da Elabora, plataforma de tecnologia para requalificar talentos com mais de 50 anos, destaca a importância de investir no reskilling para ter times intergeracionais:

“Precisamos criar ambientes de desenvolvimento para ter inclusão, criar treinamentos, atualizações para todas as idades. A pessoa pode correr o risco, quando está há muito tempo trabalhando na mesma empresa, de não acompanhar a velocidade com que o mundo está se transformando."

As principais diferenças entre upskilling e reskilling

Apesar de os dois estarem relacionados à aprendizagem contínua, existem diferenças sutis entre eles.

Quando a empresa adota o upskilling, ela quer que o funcionário se torne capaz de crescer profissionalmente, que fique sempre atualizado sobre as mudanças do mercado em sua área. No reskilling,o colaborador passa por um processo de “reciclagem”, o que pode colocá-lo em outras áreas e oportunidades.

Para ficar mais simples, vamos imaginar que um funcionário precisa aprimorar seus conhecimentos para ser promovido. Neste caso, o upskilling pode ajudá-lo. No caso do reskilling, estamos falando da necessidade de uma reciclagem para que o funcionário possa adquirir uma habilidade/conhecimento novo e necessário para uma troca de posição, por exemplo.

O papel estratégico do RH no upskilling e reskilling

O papel do RH na implementação de upskilling e reskilling é o de pavimentar todos os caminhos para que os colaboradores sejam inseridos no plano de desenvolvimento da empresa, de acordo com sua situação individual.

É o RH quem comanda esses processos, engajando a liderança nessa jornada de aprendizagem contínua. Os resultados são funcionários mais engajados, uma cultura organizacional mais forte e uma diminuição do turnover.

De acordo com a pesquisa Global Benefits Attitudes 2022, da consultoria WTM Nasdaq, que explora as necessidades, os comportamentos e as preferências dos empregados em vários temas, além da segurança financeira, as oportunidades de avançar na carreira e aprender novas habilidades estão entre os aspectos mais importantes na atração e retenção de funcionários, perdendo apenas para salários e benefícios.

Infográfico: Você sabe o que os funcionários buscam no benefícios?

Alguns pontos devem ser levando em conta pelo RH na hora de implementar as estratégias de reskilling e upskilling:

  • É preciso incentivar os colaboradores a procurarem alternativas para crescimento profissional, com programas de estudos, dentro e fora da empresa; as promoções por desempenho ajudam nesse sentido;
  • A valorização do profissional é um esquema de ganha-ganha, pois quem é valorizado com investimento devolve em fidelidade e maior produtividade;
  • Os profissionais do RH devem buscar constantemente as novidades e inovações tecnológicas que ajudam no desenvolvimento dos colaboradores;
  • As métricas são fundamentais para avaliar o desempenho dos projetos. Tudo deve ser medido para saber se vale seguir pelo caminho escolhido ou se é preciso trocar a rota.

Confira mais detalhes sobre as tendências:

A importância do upskilling para o desenvolvimento da empresa

As constantes transformações digitais não deixam dúvida sobre a importância de se manter atualizado para poder inovar. Uma cultura de desenvolvimento contínuo, focada no upsklling, torna-se primordial para o desenvolvimento sustentável das empresas.

Mas esse investimento traz outros benefícios. Uma empresa que investe no desenvolvimento de seus profissionais ganha também no employer branding e se torna mais atraente.

A redução do turnover também se dá pela valorização dos times internos e diminuição da necessidade de desligamentos atribuídos à falta de habilidades, já que os profissionais entram em um processo de aprendizado e melhorias que permanecem.

Como aplicar o upskilling na sua empresa?

Para que uma empresa coloque em prática as estratégias de aprendizagem, ela deve considerar 3 pontos principais:

  1. Mapear as habilidades: o mapeamento de competências é uma maneira de entender as habilidades esperadas dos profissionais. Ele é projetado para avaliar as competências dos colaboradores e identificar lacunas. A partir desse diagnóstico, a meta é identificar o potencial de cada um e desenvolver as competências.
  2. Estimular e flexibilizar uma rotina de treinamento: à medida que uma organização considera oportunidades para melhorar a qualificação dos funcionários, a capacitação, o engajamento e o planejamento se tornam pontos essenciais na cultura organizacional. Portanto, ficar atento às necessidades e desejos e, em seguida, agir de acordo com eles, é a chave para ter sucesso.
  3. Investir em tecnologia: é preciso investir em ferramentas que ajudem a realizar os treinamentos, medir os resultados e criar uma rotina de acompanhamento.

Conheça a Flash People: soluções completas para a automatização do RH

Vantagens e desvantagens do upskilling e reskilling

Colocar em prática os conceitos de upskilling e reskilling tem sido uma constante na gestão de pessoas, mas, é preciso saber que há vantagens e desvantagens na aplicação desses processos.

Vantagens

  • Maior engajamento, retenção e motivação do colaborador;
  • Preparação para assumir novas responsabilidades;
  • Reconhecimento como marca empregadora ao valorizar e incentivar o crescimento dos colaboradores;
  • Criação de uma cultura de aprendizado;
  • Cultivo do senso de pertencimento nas equipes;
  • Construção de equipes mais flexíveis.

Desvantagens

  • Resistência de alguns funcionários a mudanças;
  • Investimentos geram custos, e custos sempre podem ser empecilhos na implantação de novas metodologias;
  • Funcionários mais bem preparados e em posição de destaque chamam a atenção da concorrência.

Os treinamentos no pós-pandemia

Diretora de RH da Hogarth Brasil, produtora de soluções criativas para comunicação e publicidade do grupo WPP, Ana Lacerda conta que, até 2020, a empresa contava com um programa bem estruturado de desenvolvimento para as equipes, com aulas, treinamentos e rodas de conversas presenciais.

“Com a chegada da pandemia tivemos de nos reinventar. Entre essas novas iniciativas, passamos a usar uma plataforma de gestão de conteúdos online, em que criamos treinamentos com base em materiais próprios, além de disponibilizar outras fontes pertinentes que já existiam no mercado”, conta.

Hoje, o processo de requalificação das equipes ficou mais ágil. “Através dessa plataforma, podemos desenhar jornadas de aprendizagem para o colaborador, acompanhar e criar reuniões de touchpoint com o RH ou líderes das áreas técnicas. Tudo ficou mais fácil, rápido e adequado ao modelo híbrido de gestão.”

A Flash People tem um módulo de treinamento em que é possível criar e gerenciar programas de treinamento e desenvolvimento com facilidade. É possível adicionar vídeos, PDFs, conteúdos em texto e criar cursos específicos para um indivíduo, para grupos ou para todos os colaboradores. A ferramenta permite ainda acompanhar o engajamento de cada curso e a performance de cada aluno.

Leia mais conteúdos em nosso blog!

+ Expert ensinam a implementar o lifelong learning

+ De olho no futuro, Natura e PepsiCo reinventam a mentoria

+ Flash compra startup FolhaCerta e solidifica ecossistema de soluções para RH


ENTRE EM CONTATO

Preencha o formulário e venha ser Flash

Agende uma demonstração e conheça o lado rosa da gestão de benefícios, pessoas e despesas.

Business

20 mil

empresas

Smile

1 milhão

usuários

Premium

5 bilhões

transicionados

Centralize sua gestão de benefícios, pessoas e despesas corporativas em um só lugar

Descubra nossas soluções

Não enviaremos Spam ✌️